sexta-feira, março 20, 2009

But I'm a creep...


Conversas, acusações e um pontapé bem dado nesse meu traseirinho logo pela manhã, as vezes até é necessário. Sabia que, por um motivo ou outro, hoje não seria um dia normal. Mesmo assim odeio quando a conversa acaba se voltando contra mim e deixando o MEU lado de lado. Ele não ta assim porque eu estou assim. Odeio me justificar a toda hora e se, antes o fazia por medo, agora o faço por falta de amor próprio. É justamente isso que tem faltado em mim... meu umbiguismo, meu amor, minha pró atividade, a minha objetividade e minha frieza de antes, tudo MEU, agora ta dividido, amansado. Isso é uma pedra no sapatp bem do lado da unha encravada. Não é e é o relacionamento, mas ai é que o negócio demanda discernimento da gente. E se eu ainda não tenho trabalho não é porque eu to parada ou não penso em nós. Que blasfêmia.


"Tu não pode encobrir as tuas falhas por trás das minhas sempre (nem eu as minhas por trás das tuas), se não ninguém nunca vai melhorar. Mas ok. Se tu quer alguém no teu ritmo, tu tens milhares de pessoas ao teu redor, mas se tu me quiser do teu lado tu também precisa ter paciência e não cobrar de mim o que tu não cobrou de ti, eu vou chegar lá e vou chegar mais alto, e vou continuar sendo gulosa e vou estar sempre subindo e puxando a tua mão. Se eu não tenho trabalho ainda é porque eu sou ambiciosa demais pra aceitar qualquer trampinho que eu sei que vai reprimir a minha criatividade e que ainda vai me remunerar mal e porcamente. Não nasci pra receber ordens, é meu jeito... simples assim. Pode ser? Tu pode esperar que eu me mova mais rápido, isso sim eu aceito e até concordo que seja mais que necessário, mas não esperar que eu saia feito um ratinho de laboratório comendo tudo que me ofereçam. Não quero ser ratinho de ninguém, quero ser o cientista malvado com milhares de ratinhos a sua inteira disposição (metafórica...you know)."

Anyway. Sorry for being such a creep on our relationship plans... pode ser que esta seja realmente a hora da lesma de monociclo começar a pedalar, e espero tu ao meu lado sempre, como tutor, não adestrador.

Amo-te a ti, mais que te amo.

2 comentários:

Gothik disse...

E tudo o que eu posso fazer é te ajudar a se equilibrar... pq no monociclo, se eu quiser dar um empurrãozinho, tu cai.
É tudo contigo, meu anjo. Mas se tu cair, eu te ajudo a levantar. Sempre.
Te amo, coisa mais pegajosa dessa minha vida.
:*

Ms.Martini. disse...

metaforas, metaforas