terça-feira, abril 07, 2009

And we don't care about the young folks...

Ontem voltei pra casa com um sorriso inconsolável nos lábios... poisé... aqueles que a gente não consegue tirar da cara mesmo depois de um outstanding weekend que da lugar ao silêncio do zelo familiar. Mesmo sozinha em pensamentos, eu me encanto, me emociono. Tudo é grande demais, e minha expansividade sinestésica impede de reproduzir o vasto espectro de sensações em palavras.

Não adianta... palavras a gente usa pra registrar, não simular. Nunca ninguém sentirá o tocar de minha pele como eu o sinto, como eu o descrevo... nem os gostos, nem as imagens, os olhos dele refletindo o céu, o vento ficar azul ao amanhece... esse será para sempre o meu mundo... talvez um pouco dele, e de mais ninguém.

Não lamento a exclusividade.

Nenhum comentário: