quarta-feira, junho 29, 2011

Culpa

Eu me permito não fazer sentido de vez em quando, desde que eu esteja sendo sincera comigo mesma. Pra falar a verdade, eu até prefiro quando as coisas fogem ao meu próprio entendimento, pois somente assim sou capaz de sentir sem interferência do cérebro. Somente assim separo aquilo que é real daquilo que eu invento por pura conveniência.

2 comentários:

Marcus Vinícius Manzoni disse...

"Somente assim separo aquilo que é real daquilo que eu invento por pura conveniência." Que felling bacana esse texto, caiu na minha, Martini. KissMeKissMeKissMe

Martini disse...

felling bacana que vem de uma bad na real...
mas brigada tchê! eu sempre to na tua viu! te liga XD
:*