segunda-feira, março 12, 2012

Around the clockwise


Já que nossa vida é correr contra o tempo (aham), almoçamos via web-conferência: ela toda diva, dreds estratégicos, kit-kat e brisa fernando-noronhense reverberando no ventilador; eu podre, de pijama, beliscando brigadeiro de cerveja (sim crianças, isso existe!) e dançando Technotronic. Foi até bom colocar a vida em dia com minha pé-de-valsa, e compartilhar o ânimo senil da noite passada, longe daquela bicha sebosa. Porque sim, eu fiquei puta! Só Deus sabe o piti que eu dei quando soube que o show do Morrissey seria cancelado em Poa e que eu não teria álibi pra passar mais de um mísero dia em São Paulo. Essa Stadt vai sucumbir e ainda tem neguinho que raspa a cabeça, reinventa um movimento de 50 anos atrás e quer separar o RS do resto do Brasil. Certo, a Polar vai financiar e O Bairrista vai cobrir na integra. Enfim. Pâmela: Maniaca-do-parque-mood total. Meu pai amado até comprou Suedehead no i-Tunes pra estrear o i-fresco ontem de noite, e eu segurei pra não falar do meu desgosto patológico por essa marca promotora de obsolências tecnológicas, nem que eu já tinha a discografia inteira dele, da banda, e até os especiais de natal - se houvesse algum, eu teria logicamente. Agradeci de todo o coração e preparei os nervos para a longa noite, com muita leitura, analgésicos, The Smiths e lenços de papel.
Da hora a vida.

p.s.: e que morram de cólicas renais os que se atreverem dizer que foram no show.

Nenhum comentário: