segunda-feira, abril 09, 2012

Eu disse que não era paixão de "vamos dos conhecer e nos casar e fazer picnics no parque aos domingos", era paixão platônica, uma extrema admiração, sensação de proximidade, simpatia instantânea, ansiedade e um desejo bom que vem das vísceras. Por mais que eu tenha dito que não, eu sei que aqui dentro eu espero tudo disso. Faziam anos que eu não sabia o que era sentir essa queimaçãozinha boa dentro de mim. Preciso fazer valer, a prova dos dois dias já está mais que vencida.

Um comentário:

Jeferson Cardoso disse...

Martini, tem que ser pra valer, tem que fazer valer a penas, tem que ser, sentir. Viva o platonismo. Viva! Abraço do homem contido no http://jefhcardoso.blogspot.com/ que talvez você, na verdade na verdade, não o tenha adicionado em lugar algum. º~º