sábado, janeiro 19, 2013

Sexta a noite eu tinha que estar BEBENDO, mas...

... por infortúnios do acaso, acabei caindo em discussões e rixas passadas que não me diziam respeito, e, em menos de um minuto, fui contemplada com um jorro de declarações e exposições alheias vindas de uma pessoa que se dizia "na dela", tentando desesperadamente compensar a frustração que causei  com um comentário inconveniente para uma situação a qual eu não estava familiarizada. Fui obrigada a me desculpar, mas não pude deixar de analisar o poder que orgulho tem sobre a razão das pessoas, a ponto de teimarem em um discurso sem coerência de forma a mediarem suas próprias ações de acordo com a opinião alheia.
Não foi uma conversa equilibrada, mas nos levou ao assunto chave:

"Ninguém é tão somente aquilo que aparenta."

Mas é óbvio que não! Não havia necessidade de ser tão enfática dizendo que sabia sobre quem da o rabo, quem fez boquete em quem, quem abortou, quem expôs a vida de quem. Isso são meros detalhes pra mim. Vivemos presos a valores tão distorcidos que todos nós erramos no mesmo lugar e mesmo assim reprimimos os outros, ao mesmo tempo que nos escondemos com medo das opiniões negativas. E parte da minha doença é justamente ter que suportar minha vida sem ver problema algum nisso. E daí que fulano é hétero e gosta de dar o forévis? Que desperdício seria não gostar, sendo dotado de uma próstata? Homens tem muito mais razão para gostar do que mulheres, sem necessariamente terem sua sexualidade questionada; E daí que fulana abortou? As feministas hoje em dia não estão loucas pra descriminalizarem o ato e legaliza-lo como tão somente um direito sobre o corpo delas? E daí que fulano traiu fulana? Quando vai entrar na cabeça das pessoas que monogamia não faz parte da natureza sexual do ser humano? Isso é tão somente uma escolha pessoal inspirada por ideais relacionados a sentimentos românticos, e que o fim desses sentimentos vai acarretar no regresso à natureza animal do homem, ao mesmo tempo que esse fato não vai anular o amor que duas pessoas possam sentir uma pela outra, pois amor é tão somente um estado de proteção e afeto incondicionais, e não um atestado de exclusividade conveniente para o ego do parceiro; E daí que eu tirei fotos peladjénha com meias de latex e achei as fotos lindas? E daí que fulano, ciclano, que EU fiz boquete em beltrano e etcetrano da vida? Quem não faz? Quem acha que é ruim?
Gente! Porque as pessoas insistem em reprimir comportamentos e decisões que são tão humanas e ao mesmo tempo tão particulares? Nossos valores são TÃO DETURPADOS, que passamos a vida tentando compensar nossas ações em cima do considerado "erro alheio", porque desde sempre nós aprendemos que certas coisas são erradas, que outras coisas são inconcebíveis para uma pessoa de respeito. Somos filhos de uma educação hipócrita e pagamos com nossas frustrações e idealizações de pessoas que infelizmente NÃO EXISTEM! Baseamos nossos protocolos sociais em premissas falaciosas, tendenciosas ou convenientes, mas jamais nos sentimos a vontade para nos abrirmos com os outros. Precisamos saber que os outros fizeram o que em segredo também fizemos, para nos sentirmos mais leves, mas não somos capazes de encontrarmos a paz ao assumirmos nossas ações. E eu sinto uma tristeza tão grande por causa disso, que eu me ofereço como confidente para que as pessoas, ao menos uma vez, se sintam a vontade pra serem quem elas realmente são, sem se preocuparem com a aprovação de ninguém.

Então a merda com fofocas, pois muito provavelmente eu já fiz pior e não é você que vai ter a moral necessária pra me julgar!

Enfim... precisamos todos de mais colhões, mais autenticidade e menos recalque.

3 comentários:

Anônimo disse...

cada um faz o q quiser mesmo, e daí? mas tu, também, acha que a tua opinião sobre tudo é a certa.

Martini disse...

DÃÃÃ!
Óbvio que eu penso que minha opinião é a certa! Eu vou defende-la até alguém ser capaz de me fazer pensar diferente. E a essa pessoa eu serei humildemente grata, mas enquanto isso não acontecer...

É assim a dinâmica das coisas, não? Eu não vou defender nada que não seja lógico e não esteja de acordo com os meus critérios.

Natália Campanholo disse...

Completamente verdadeiro o que você disse. Gosto de ler o que vc escreve.
Me faz pensar bastante!