quarta-feira, abril 29, 2009

Último ato o caramba!

Contradições fodem com a vida de qualquer esquentadinha como eu, ainda mais quando elas vêm com restrições condicionais, justamente de alguém que a gente ama. Nessas horas é primordial saber controlar o ego ferido pra evitar danos maiores. Mas uma vez censurada, o tesão vai embora completamente e a vontade de escrever aqui vira pó.

Longe de minhas intenções terem sido mal interpretadas, o que aconteceu foi implicância por uma súbita mudança de temperamento e um revival dos ideais passados que ele dizia ter tentado mudar por minha causa. Besteira... E quer saber? Não vou me justificar... Cada palavra que escrevi foi vital. Mas cansei de depender sempre da aprovação de alguém que resolve mudar de opinião de uma hora pra outra e ainda me joga a "nobreza" de uma pessoa alheia só pra machucar.

Não sei mesmo o que será desse limbo de recordações. Talvez se perca dentro de si. (Como se não soubesse)


...



*Vaias*... e ela se retirou - irritada - marcando o palco por onde passava, mas ainda mantinha no coração a vontade de continuar. Nem tudo estava acabado.

Nenhum comentário: