quinta-feira, agosto 12, 2010

liberdade

... sinto a liberdade cuspindo na minha cara, como um velho amigo traído, depois de anos de separação. Mas eu ainda te amo, ainda ouço teu canto colérico dentro de mim.

Nenhum comentário: