domingo, março 25, 2012

A great achievement

A loucura não é apenas disfunção, e não pode ser lidada como algo pejorativo quando não proveniente de mal funcionamento cerebral. A loucura é necessária, pois transcende o óbvio e a conveniência de se viver no lugar comum, onde tudo é mais simples e prático, onde o não entender é facilmente tapado com o conformismo de um pensamento romântico, com a eloquência da incerteza que não admite sua ignorância. Ela jaz silenciosa como um ovo estranho que germina despercebido no corpo do homem são, rutilando nos olhos distraídos e no zarpar de atos espontâneos deste que a carrega - não necessitando transparecer. É discreta e dissimulada no segredo de sua natureza, ostentando aquilo que lhe for conveniente, trabalhando em benefício de seu hospedeiro para usufruir de sua energia pelo tempo que for necessário até propriamente se manifestar em homicídio, fuga, doença, reclusão, ideia, epifania, revolução...
E nessa precoce necessidade de fugir do óbvio e compreender a natureza de tudo aquilo que é rotulado por se desprender do politicamente correto, do protocolo das interações sociais estabelecidas por leis de costume, tradição e moral, descobri em mim um pouco de loucura, que impossibilita o dedutível, a preconcepção. Sou diferente sem a necessidade de marcas para ostentar essa incompatibilidade, mas ainda espero o dia em que tudo isso que cozinha dentro de mim se manifeste em ação, em pequeno ato de superação dos limites que nos auto infligimos.

Nenhum comentário: